Square 4aw5fjo
Esta mobilização foi selecionada por Meu Rio. Saiba mais sobre a seleção, clique aqui.

Por um inventário dos bondes de Santa Teresa! Nosso patrimônio exige respeito!

No ar há 1 ano em Transportes e Trânsito
7xqaysb
Cozinheiro
Por um inventário dos bondes de Santa Teresa! Nosso patrimônio exige respeito!

Os novos bondes de Santa Teresa devem começar a funcionar no ano que vem, mas antes que eles cheguem para ocupar o lugar dos bondes antigos, os moradores e amigos do bairro exigem que seja feito um inventário atualizado de todo o patrimônio que ainda existe. O último inventário encontrado, feito em 2008, mostra que alguns dos bondes originais, de 1896 podem voltar a funcionar e se somar à nova frota. Queremos saber se isso é verdade e saber o que ainda nos resta desse patrimônio histórico tombado!

Mais de dois anos se passaram desde o acidente com o bondinho de Santa Teresa. Foi uma tragédia anunciada, resultante do sucateamento (doloso ou culposo?) e do total desprezo governamental pelos moradores do bairro e pelo patrimônio nacional.

Passado o primeiro impacto da tragédia que deixou seis vítimas fatais e aproximadamente 50 feridos, o governo veio a público anunciar uma renovação total do Sistema de Bondes de Santa Teresa, incluindo troca de trilhos, troca de todos os cabos e subestações elétricas, reforma das paradas, do museu do bonde e das oficinas. Anunciou, além disso, que iria colocar nos trilhos 14 novos bondes, nas que esses, negando os modelos históricos, teriam porta de entrada e de saída, corredor no meio, bancos individuais e teriam sua capacidade reduzida. Pareciam claramente destinados ao turismo e não ao transporte cotidiano dos moradores!

A luta para fazer o governo desistir de seu projeto de bondes-fake-plastificados foi árdua. Milhares de assinaturas, ação junto ao Ministério Público Federal, muita conversa com o IPHAN, manifestações de rua, instalações nos Arcos da Lapa, entrega de carta aberta na casa do Governador, muita mobilização da mídia.. Nossa força foi maior e, aos poucos, o Governo voltou atrás e promete agora fabricar bondes que respeitam o perfil dos carris históricos.

Nada foi em vão! A identidade do bairro está sendo preservada. Tudo isso parece muito bom! As obras de troca dos trilhos começaram há algumas semanas e pode ser mesmo que os novos bondes comecem a rodar em 2014. Mas não podemos descansar!

Dentro das Oficinas do Sistema de Bondes de Santa Teresa, devem estar 17 bondes. Alguns antigos, de 1896, mas ainda inteiros, que podem ser restaurados e voltar a circular. Outros, fabricados em 2005, que foram concebidos com um erro de projeto e foram retirados de circulação no dia do acidente de 2011. Suas carrocerias podem ser aproveitadas em novas estruturas e eles também podem voltar a circular.

O problema é que o governo não quer isso e não tem nenhum projeto para o restauro desse patrimônio. Muito em breve, vão ter que reformar as oficinas e vão querer transportar o equipamento que lá está para outro local. Só que nós não vamos deixar que isso aconteça. Não antes que o governo tenha realizado, concluído e divulgado um inventário cuidadoso e criterioso de tudo o que está lá.

Estamos contentes com as obras para a volta dos bondes e com o modelo que está sendo proposto agora pelo governo, que é um modelo que respeita nossa história. Mas lutamos pelo restauro da frota antiga e para isso queremos um inventário de qualidade de todo o Sistema de Bondes de Santa Teresa feito com técnicos, especialistas, poder público e moradores do bairro.

A Direção do INEPAC (órgão do Governo Estadual que cuida do patrimônio) afirmou que, com um restauro, os bondes antigos poderiam inclusive voltar a circular, se somando à frota nova e diminuindo o tempo de espera dos moradores no futuro. Mas tanto o INEPAC quanto a Secretaria Estadual da Casa Civil, que cuida do projeto dos bondinhos, afirmaram que a responsabilidade pelo patrimônio, atualmente, é da Central Logística.

Pressione para que um compromisso com esse inventário seja realizado imediatamente e um prazo seja dado! Assim o restauro poderá ser feito e os bondes antigos podem voltar a circular!

Deixe seu comentário